sexta-feira, 30 de outubro de 2009

VIDAAAAAAAAAAAAA



Então tá, estou me preparando para minha terceira mudança de casa em menos de 1 ano, e de repente percebo que existe uma coisa chamada “solidão”, senti poucas vezes, e não era exatamente no sentido total da palavra.
Depois de arrumar (embalar) várias e várias caixas, ter recebido uma má notícia, e ter uma briga meio virtual com uma amiga, fiquei imaginando o que poderia faze: dormir?????? Não....comer?????? Não (já estou suficientemente gorda) ver TV? Não (vieram retirar os canais da TV a cabo). Resolvi usar a net (meu recurso anti-solidão), aproveitei e fiz uma espécie de enquete, mas uma idéia entre todas que me deram, me animou - que tal, me arrumar, ir ao shopping (que fica estrategicamente ao lado da minha atual-ex-casa) eu poderia dar uma volta (embora, dispusesse de pouco dinheiro), pagaria umas contas e iria ao cinema....
Ah, o cinema era tudo que eu precisava...faz um bom tempo que eu não vou ao cinema – a ultima vez fui assistir um filme “A era do gelo 3” com minha sobrinha de 7 anos recompensa dela, castigo meu, (brincadeira, o filme é ótimo).
Arrumei-me, animadamente para ir ao shopping e fui saltitante cheguei em menos de 5 passos, peguei o dinheiro, paguei as contas, e parei em frente ao cinema, fiquei ali parada como estátua durante alguns segundo , não eu não estava olhando os filmes em cartaz, apenas parei e fiquei pensando que não existe nada mais deprimente (embora, muitos não achem) que ir ao cinema sozinha, mesmo assim, não deixei que o desanimo me abatesse, e aí sim, fui ver os filmes que estavam em cartaz – depressão total - o primeiro cartaz indicava um filme chamado chuva de hambúrguer , no próximo Michel Jackson, no seguinte, se beber não case....desisti de ver os outros e num piscar de olhos estava na frente da livraria, então olhei os trocentos livros de auto-ajuda e imaginem só o que veio parar na minha mão “Sara sem Silicone”....não, não to afim de ler nada sobre como conseguir saúde, dinheiro, amor ou felicidade, quero apenas me sentir acompanhada nem que seja por uma Sara sem silicone, podia ser um homem, de preferência sem silicone mesmo...

1 Comment:

Sarah said...

Cara, eu sabia que tu ía me encontrar...é muito amor...é claro que eu preferia ser uma Sara siliconada, turbinada, loira e japonesa, mas vai do jeito que tá mesmo...

Realmente o livro nos faz sentir acompanhada e nem reclama se a gente se ausenta dele, dorme em cima dele, baba..., usa como "guardadod" de contas, fotografias, mas no final dá tudo certo e a gente compreende a mensagem...ou seja, amigo pra todas as horas...assim como vc é comigo...mas que nome de livro eu te daria? Já sei...Uli-sem-noção-da-idade-que-tem, com direito a um monte de colagem na capa e um papel de Serenata de Amor guardado dentre dele...te amo amiga, se cuida pelo amor de Deus. bj